quarta-feira, 16 de maio de 2007

Palavras que podiam ter sido tuas...

"Não acreditava que um dia destes chegasse. E agora, Março de 2007, veio com a brutalidade de uma explosão no peito. Não imaginava que fosse assim, tão doloroso e, ao mesmo tempo, tão pouco digno como a velhice e a decadência. Tão reles. O olhar de pena dos outros, palavras de esperança em que não têm fé" – escreve Lobo Antunes.
Sobre o cancro, escreve: "Mói e mata. Mata. Mata. Mata. Mata. Levou-me tantas das pessoas que mais queria. E eu, já agora, quero-me? Sim. Não. Sim. Não — sim."
Encontrei hoje, por acaso, estas palavras de Lobo Antunes. Senti um arrepio. Nunca nenhuma das suas crónicas me fizera sentir assim. É que esta é isenta de ironia, é fruto da consciência de um sofrimento sem fim, do precipício incontornável, da viagem certa, apenas sem data marcada.
Nunca nada nem ninguém pode confortar um doente de cancro. A sua vida desaba no momento em que é feito o diagnóstico. Ao contrário de Lobo Antunes, eu diria: O cancro mói. Mói.Mói.Mói.Mói.Mói. Mata.

8 comentários:

margusta disse...

Olá Irneh!
..não é hábito meu vaguear logo pela manhã pelos blogs...falta de tempo...
Venho espreitar a minha caixa da gmail, e só depois lá pela tarde ou á noite é que me dedico um pouco á blogosfera. E estou a dizer-te isto tudo para quê!?...Para te dizer que te comprendo tão bem , neste teu post ( que tive que te visitar agora)...no sofrimento do que é vermos partir um ente querido levado pelo cancro...a impotência de podermos fazer algo e assistir a tanto sofrimento....é o cancro Mói, Mói, Mói....Olha estou a chorar ..é horrivel....depois de ter vivido uma experiência com o meu sogro..outra doença..que o teve acamado 7 meses e todo entubado, e de quem eu tratei...Em Outubro do ano passado foi a vez do meu pai..desta vez com um cancro no esofago e outro na na prostata.Ele fez questão de estar sempre em casa e morrer em casa..foram dias e dias de sofrimento....Se quiseres lê os meus posts de 8/11/2006 2/12/2006 9/12/2006 30/12/2006 13/01/2007 e 1/03/2007....

Calculo que tenhas passado tb por um grande sofrimento!

ABRAÇO_TE!!!


Ps.. Estive a ver os teus quadros, acho que tens imenso talento...agarra-te á pintura...não pares. Adorei o teu trabalho que aqui nos mostras!!!

margusta disse...

Irneh,
..estes posts de que te falei no comentário anterior, são no meu blog dos " Momentos Sentidos"

Beijinhos

Marco Ferreira disse...

Sem palavras .... Ainda estou arrepiado.

marinheiroaguadoce a navegar

bom dia isabel disse...

Depois de ter passado pela Margusta,como sempre faço, tomei conhecimento da tua existência e senti que devia passar por aqui. Tiveste uma visita muito especial. Ela, a Margusta, Maria Augusta, ao longo dos seus posts tem-nos dado conta do ser especial que é. Tem passado por momentos muito dolorosos que tem partilhado connosco e , ao mesmo tempo, tem sempre as palavras certas para nos confortar. Conta comigo também. Irei passando por aqui para te deixar um abraço, um beijinho e algumas palavras.

Entre linhas disse...

Infelizmente ninguém está imune a esse flagelo,pode bater á porta de forma silenciosa...
Bom fim de semana
Bjs Zita

sonhadora disse...

Bom domingo!
Beijinhos embrulhados em abraços

Caracolinha disse...

Um beijo encaracolado porque por vezes todas as palavras do mundo não conseguem dar forma ao que estamos a sentir ...

Thunder disse...

É verdade.
A minha mãe teve cancro da mama há 11 anos. Custou muito, mas conseguiu vencer.
Há dois meses, a minha madrinha descobriu que tinha cancro de pele.Teve sorte porque foi diagnosticado a tempo.Está tudo a correr bem. Mas afecta toda a família, dói muito...