domingo, 17 de junho de 2007

Fantasmas



Sinto-me disléxica. Por mais que tente, não consigo soltar as palavras de que preciso para exprimir o que sinto, apesar de, na minha cabeça, ter mil vozes fantasmagóricas que proferem palavras desconexas, numa vertigem incontrolável.


Acho os dias absurdos. Não encontro solução para a longa equação das minhas dúvidas. Tudo em mim é projecto abandonado e, ao mesmo tempo, é culpa pelo abandono. Em tudo procuro remédio para esta angústia que me deixa exausta. No fundo, sei que o meu problema está identificado e é insolúvel. Mas isso de nada me vale. Continuo a não aceitar que tenha perdido tão cedo o meu porto de abrigo. O teu sorriso. O teu toque. As tuas carícias. O veludo dos teus lábios. As nossas músicas. As nossas danças. Os nossos passeios. A nossa vida.


Tudo se dissipou e resta apenas a memória, mas mesmo essa surje, aqui e além, maculada pela alucinante expressão do teu sofrimento, de dor, de delírio, da indelével tristeza que acompanhou os teus últimos dias. E eu não pude fazer nada, nada, nada... Que sentimento de impotência e que revolta... Que saudade, meu amor!


26 comentários:

Moinante disse...

Convido-te a visitar a minha humilde gruta , pois tens uma pintura rupestre à tua espera .

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Acho que a saudade é isso mesmo e poucas vezes a vi tão bem descrita como aqui.

Fica um abraço de consolo e os votos de uma boa semana.
beijinhos

Reflexos da Alma disse...

Olá Irneh !

Desejo-te Força minha Querida , desejo-te algo que te faça encontrar alguma tranquilidade ....

Mil Beijos e votos de uma boa semana

melga meiguinha disse...

Irneh,

Claro que vai ter muitos dias como o de hoje, mas que tal sair um pouco, aproveitar o pouco sol que temos, pensar em como foi tão bom ter esse porto de abrigo e nas coisas boas por que passaram?
Eu sei como são esses dias e na revolta que deve estar sentindo. Mas já reparou que muitas pessoas nem a isso tiveram direito?

Força e coragem, nós cá estamos para lhe dar muitos miminhos.

Beijocas muitas.

David (DeltaFox) disse...

Força e coragem te desejo nestes dias ! Distrai-te, pinta, fáz o que gostas... e muito bem !

Bjinho

João Cordeiro disse...

Querida amiga obrigada pelo carinho demonstrado.
O meu pai já se encontra em casa.
Passei e estou a passar uma fase muito complicada da minha vida.
Embora julgue que a amizade não se agradece, o meu reconhecimento.

Gi disse...

Irneh, o nosso conhecimento é tão breve que receio que qualquer palavra que diga soe a falso e sem sentido. Além disso cada um tem a sua maneira muito própria de lidar com a dor, com a ausência. Fiquei muito nova sem pais , tios, avós. Foram-se todos os que eu amava por isso estou habilitada a ser solidária cm essa dor. Tudo passa, a saudade tem dias que bate forte mas no outro dia a vida continua. Olha-se para o infinito e pensa-se que numa estrela qualquer está a sua morada e isso aconhchega, fá-los ficar mais perto. É para o céu que o meu olhar se desvia todas as noites. Conforta-me a ideia que pdoem estar a olhar para aqui também.

Um beijo, desculpa ter-me alongado

Thunder disse...

Eu costumo dizer que o meu maior tesouro são as minhas recordações!Nisso sou muito rica.Espero que tu também! Sê feliz ao recordar.
Beijos.

F F Moniz disse...

Olá! Sou novo no blogger e busco fazer amizades com pessoas que tenham interesse em literatura. Quando tiver um tempinho, visita o meu blog. Chama-se "O Voyeur" (ffmoniz.blogspot.com). Um grande abraço e parabéns pelo seu blog!

Girassol disse...

Existem dias em que nenhum sentimento faz sentido dentro do peito, apetece arrancá-los todos para simplesmente não sentir.
Penso que para compreender a dor da ausência é preciso passar por ela; penso também que muitas vezes as palavras dos outros não servem de grande consolo, pois não preenchem o vazio.
Mas, acredito sinceramente que todos temos capacidades para superar a dor. É uma descoberta solitária, um caminho penoso e difícil esse de aprender a viver com a saudade, porém, é também um caminho que fortalece, a seu tempo...

Beijinho.

turbolenta disse...

Custa muito vermos partir aqueles que nos são mais queridos,principalmente com doenças contra as quais nada podemos fazer.
A vida é mesmo assim: è feita de ganhos e perdas. Infelizmente mais perdas que ganhos.
tens de pensar também nas coisas boas que passaste a dois e no que ele sofreria se, porventura, ainda cá estivesse.E embora seja doloroso, provavelmente sê-lo-ia ainda mais se vivesse em sofrimento.
Temos de enfrentar a cruel realidade das coisas más da vida. São elas que nos fazem dar valor a pequeninas coisas boas que se cruzam connosco, nas mais pequenas, coisas e gestos.
Não podes fechar-te em casa. Tens de sair. Distrair-te. Esquecer um pouco também
beijinhos
uma boa semana

margusta disse...

Irneh Querida,
...um grande abraço para ti!...

Saio constrangida...sem nada poder fazer para te ajudar na tua dor...

Moinante disse...

Visita-me , também é dedicado a ti , espero que gostes ...

Maria Clarinda disse...

Mais uma estrelinha no céu brilhando com a Força Maior para Ti.
Força!!!
Jinhos

Hands of Time disse...

obrigada pelo comentário! sei que se passa assim em todas as áreas tanto privadas como públicas. Simplesmente fico triste! Pelos vistos partilhamos o mesmo gosto pela pintura! ;)

vida de vidro disse...

Percebo a saudade. E a revolta. Um abraço.

Ruela disse...

Obrigado pela visita ao meu blogue.
A arte é em grande parte uma boa terapia, uma fuga, um encontro interior que mais tarde revela-se no exterior.
No meu ver a melhor forma de exteriorizar os sentimentos bons e maus é através da criação seja lá de que forma...
Um abraço.

NOBITA disse...

Primeiro, queria agradecer a passagem pelo meu cantinho.
Quando alguém de quem amamos parte, só no resta a saudade, e olha e que ela é muita, mas ainda nos resta alguma coisa mais, tais como as lembranças, que também nos ajudam a caminhar nesta vida que por vezes pode ser de dor. Por isso amiga, coragem.
Beijos

Mocho Falante disse...

sabes que a Saudade às vezes não nos deixa ver a janela que entretanto se está ou já se abriu

Beijocas doces

Tangerina disse...

Olá... Cheguei aqui através do blog do Prof. M. Vaz.

Não sei dizer coisas macias, não uso clichés, não sou sequer muito simpática.
Mas queria poder dar-te um sorriso, só isso.

Jardim Proibido disse...

Há sempre algo que fica...
A saudade...

Beijo.

NR/FB disse...

A escrita, as imagens, toda a poesia...estamos perante um blog artístico. Contudo este último post deixa-me na dúvida, felizmente existem etiquetas. Ou será que continuo na dúvida? Enfim, qualquer comentário que aqui deixasse não passaria de uma sombra do texto do gi, daí que a minha apreciação desta visita seja: ARTE!(!!)
(tenho uma planta dessas, uma hera, no meu quintal, um quintal alentejano :D)

O Chaparro disse...

só posso dizer: força!!!

João Cordeiro disse...

Querida amiga eu «estou a passar como sabes uma fase tão negra...
Força é a única coisa que me ocorre dizer-te...


Beijo sonhador

sinha disse...

cheguei aqui atraves de pequenos nadas...
e ler isto foi um choque...palavra.

eu nao escreveria o mesmo texto porque a agonia da minha fonte de amor foi relativamente rapida mas atroz...
e eu nao estive...
nao partilhei...
recebi um murro seco no estomago...e de repente o que era luz, apagou.
e o que tenho navegado...

beijinhos

margusta disse...

Olá Irneh,
...no teu penúltimo comentário, mencionas-te o facto de teres lido por aí que eu andava um pouco triste...pois é..em 2 anos foram 8 os que partiram...os que doeram muito foram o meu pai e o meu sogro...

Á 15 dias partiu mais um familiar, embora afastado...foi mais um com a doença maldita...

Beijosssssssssssss