segunda-feira, 2 de julho de 2007

Acima de qualquer suspeita...

Agora que tanto se fala nos professores, que saltaram para a ribalta porque, de repente, toda a gente descobriu que eram a pior espécie ao cimo da terra, sobretudo se forem professores e funcionários públicos, eu sinto necessidade de escrever sobre o tema.
Não vou, como seria de esperar de uma professora com quase trinta anos de serviço, começar aqui a lamentar-me, nem me vou defender, porque não me sinto culpada de nada. Sempre tentei fazer o meu melhor. Mas tenho uma pergunta: quando se escreve, se fala, se debate, se faz humor a propósito dos docentes, incluem-se os do Ensino Superior? Não?! Nem pensar?!Têm a certeza!? Era o que eu esperava. Superior é sinónimo de "à parte", "elevado", "intocável". Se calhar, estou com um problema de sinonímia - não consigo encontrar um sinónimo total. Mas também pouco importa.
E por que motivo falo eu dos senhores professores do Ensino Superior? Por achar que é preciso falar de TODOS os professores. Fui aluna do superior, tenho um fiilho que já foi aluno e ainda tenho outro filho no 4º ano de um curso universitário. Hoje, este último, disse-me uma coisa que julguei anedota. Mas não era. Um dos seus digníssimos professores afixou, na semana passada, uma pauta. Naturalmente, os alunos cumpriram o dever de verificar os resultados. Uns ficaram contentes, outros nem por isso. Passou o fim de semana e, muito mais tranquilo, o senhor professor afixou nova pauta. Também é "quase" normal. Podia ter-se esquecido de um aluno! Mas não! O caricato aconteceu. Alguns dos alunos que já tinham visto a pauta e estavam aprovados na cadeira tiveram uma surpresa: agora estão reprovados! O que era deixou de ser! Felizmente, o meu filho não foi contemplado pela surpresa! Por enquanto! Quem sabe se aquela pauta não estará em constante mudança?
Pergunto eu: se isto acontecesse numa escola secundária o que seria do professor? O dicionário de calão não teria termos suficientes para o insultar, no mínimo!
O que me faz confusão (e já fazia, quando fui aluna) é que no Ensino Superior os alunos não vejam todos as suas frequências, os seus exames, os seus trabalhos. Limitam-se a fazê-los, a receber as notas, ponto final. Querem ver alguma coisa? Então paguem (no privado!); falem com o professor (com cuidado, pode ele voltar a leccionar outra cadeira vossa!); esqueçam o assunto e fiquem na dúvida; vejam, mas apesar do que virem, resignem-se, porque está feito e "eu é que mando", etc.
Podia ficar aqui a contar destas "anedotas" e até outras muito mais interessantes, como aquela em que um professor, na segunda época, mandou sentar os alunos que tiveram menos de seis no primeiro exame, à direita; os que tiveram menos de oito, ao centro; os restantes à esquerda. Porque seria? Para os alunos ficarem mais calmos antes do exame?!!!
Antes de terminar este meu "post", quero dizer que tive excelentes professores e que também os meus filhos tiveram a sorte de encontrar alguns. Humanos, do Superior sem se acharem "superiores", sem medo de serem questionados, porque sabiam o que faziam. Mas os restantes fazem o que querem e até acham que, se são contestados, é porque são exigentes. E exibem esse "estatuto". E não há quem, dentro da instituição, os faça mudar de ideias. Nem sei mesmo se tentam. A ideia que passa para fora das universidades é que o corpo docente está desmembrado! É cada um por si.
Gente incompetente há em todo o lado, professores incompetentes também há em todos os níveis de ensino. Não somos só nós, os do "inferior"! A cada um o que lhe é devido!

29 comentários:

Tigui disse...

Concordo absolutamente consigo. Não sou ainda aluno do secundário, mas acho um absurdo esta campanha que fazem agora contra os professores, essencialmente do secundário. Até agora não tenho tido grandes razões de queixa, tirando diferenças de personalidade que limitem talvez a afinidade e outras vezes a menor experiência do docente. Mas são grandes trabalhadores.

Pelo que me apercebo os professores universitários estão quase num pedestal, são intocáveis em relação a críticas. E alguns são menos trabalhadores que os do secundário.
A senhora ministra da educação, Maria Lurdes Rodrigues, critica muitos os professores do secundário e diz são preguiçosos, que deveriam se esforçar mais, desconhecendo por completo as suas dificuldades. E por quê? Porque a senhora foi professora universitária, em que pouco ou nada fez.

Mas vou-me calar, antes que também me ponham um processo em tribunal por difamação ou por ter dito alguma piada ofensiva. ;-)

Beijos, senhora leitora!*

Girassol disse...

Gente incompetente existe em todos os graus de ensino, e em qualquer profissão.
Tive excelentes professores no secundário, pessoas dedicadas e altamente competentes que em muito contribuíram para a minha formação académica e pessoal.
No ensino, dito superior, também encontrei professores que se distinguem da maioria, pessoas inteligentes com perfeita noção das responsabilidades e empenhada em formar futuros trabalhadores competentes.
Porém, quem por lá passa não pode deixar de perceber os vários erros e injustiças cometidos.
O autoritarismo e culto ao "salve-se quem puder", porque de outra forma tudo se complica.
Lembro-me de no 2º ano da Faculdade ter dado por mim a pensar "Sinto-me menos preparada e instruída do que quando aqui cheguei, que se passa"?

Por tudo isto, assinaria em baixo desse texto, acabando com a ideia errada que existe.
Em muitas faculdades, e com alguns docentes, o ensino de superior só tem mesmo o nome.

Beijos

Jardim Proibido disse...

Penso que a competência, a incompetência; a humanidade , a desumanidade... Está em nós. Onde quer que estejamos...

Thunder disse...

Concordo absolutamente.
Há bons e maus profisionais em todas as profissões!!!

Maria Valadas disse...

Não só a nivel de profesores... como em tudo. Há de bom, suficiente e mediocre!

Como ex- elemento, dedicado durante trinta anos ao serviço do Ministério da Educação, compreendo muito bem a tua revolta!

Como mãe.. e aluna que fui.. nada tenho que dizer contra!

Tive... e as minhas filhas tiveram também, uns óptimos professores que as prepararam devidamente para o ingresso no Ensino Superior!

Sem essas bases... não teriam sido as boas alunas que foram e óptimas profissionais que são!

Beijinhos minha querida!

Maria

Rubina disse...

Concordo e irrita-me que em Portugal os professores universitários sejam vistos como deuses, intocáveis e inacessíveis. Fiz mestrado em Inglaterra, numa uni excelente, e nem chamamos Doutor aos professores. É pelo nome mesmo. Jinhos

João Cordeiro disse...

Querida amiga existe bom e mau em qualquer profissão.
Eu ainda hoje recordo com saudade alguns dos bons professores que tive no secundário.

Um beijo sonhador

melga meiguinha disse...

Não tenho formação universitária mas, a minha sobrinha apanhou alguns destes professores.
Realmente acham~se deuses que podem fazer tudo o que lhes apetece.
E ai dos miúdos que tentem confrontá-los.
Mais uma das muitas coisas que deviam mudar neste país do faz de conta.

Beijocas.

Reflexos da Alma disse...

Olá Irneh !

Belo tema para uma Reflexão muito urgente !!!

Tenho gente ligada ao ensino há muitos anos e sei bem do que falas !!!

Beijokas !!!

sinha disse...

concordo com a tua reflexao...

no ensino primario... tive uma senhora professora que ate hoje nao consigo esquecer...

no ensino secundario tive alguns professores que me marcaram muito... bons profissionais, alguns muito exigentes... outros talvez mais preocupados com a nossa formacao moral e intelectual do que propriamente com o programa escolar imposto...

na universidade...

"OUVI DIZER QUE..."

o ambiente passa por um grande stress, angustia e sentimentos de impotencia... chegam a surgir situacoes... (...) e por vezes uma repetida sub-avaliacao das capacidades dos estudantes... e por mais que se procure nao se sabe o que esperam deles... secalhar era so perguntar... ate a sua imagem chega a ficar denegrida perante outros professores e colegas...
sera exagero?
os professores universitarios possuem livre arbitrio... e sabem como usa-lo...

Ja na belgica... e a relacao com os professores e completamente diferente... muito mais flexivel... humana...numa plataforma de igualdade...

(acham que este tipo de consideracoes arrisca algum processo?
ou faz parte da liberdade de expressao?)

beijinho querida amiga

Klatuu o embuçado disse...

----AVISO À NAVEGAÇÃO----

BLOG DE UMA PLAGIADORA: http://spring-gold.blogspot.com

------» kanoff


http://meninamomentos.blogspot.com/2007/05/um-falso-querer.html

http://spring-gold.blogspot.com/2007/07/no-espero-que-me-entendas-quero-de-ti_02.html

http://tocolante.blogspot.com/2005/04/25-de-abril.html

http://spring-gold.blogspot.com/2007/04/tocou-o-telefone-na-madrugada-l-longe-l.html

http://tsilva.blogs.sapo.pt/108951.html

http://spring-gold.blogspot.com/2007/04/o-nosso-cames-genial.html

http://corta-fitas.blogspot.com/search/label/Tert%C3%BAlia%20liter%C3%A1ria

http://spring-gold.blogspot.com/2007/04/versos-para-as-fitas-de-final-do-curso.html

E não pensem que a criatura só plagia poemas!

É tudo... ou quase!

[a cópia]
http://spring-gold.blogspot.com/2007/05/ter-pedalada.html

[o original]
http://corta-fitas.blogspot.com/2007_05_01_archive.html

Nem o Pacheco Pereira escapa!! :)

[a cópia]
http://spring-gold.blogspot.com/2007/05/uma-vida-uma-ficha-joo-silva-e-mulher.html

[o original]
http://abrupto.blogspot.com/2007/05/uma-vida-uma-ficha-joo-silva-e-mulher.html


___
Hi5: http://kanoff.hi5.com/

Pinheiro disse...

Não podia concordar mais. Eu próprio fui alvo duma anedota dessas. Também me trocaram uma nota numa pauta e, depois de uma hora ao telefone, consegui saber que o motivo era que a segunda nota era a minha nota habitual... Pois, não havia de ser... O problema é que são eles que governam isto tudo. E governam bem, mas para eles...

O Chaparro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
O Chaparro disse...

e mais nada.
bom resto d semana

Entre linhas... disse...

Grande tema para reflexão,mas infelizmente existe o excelente,o médio e o insuficiente em tudo,eu tive que "pedalar" muito para chegar onde cheguei.
Não basta a vocação mas também a vontade prória.
Bjs Zita

JRL disse...

Olá Irneh,
Infelizmente, a falta de compreensão (e não só) é cada vez mais frequente.

Bjs

antónio paiva disse...

..................

já percebi que te incendiei

:)))

queima pois!

conheço alguns e algumas, bons, muito bons, mas são poucos lamentávelmente


(já agora deixo-te aqui um convite porque não sei como o fazer de outra forma, no dia 12 de Julho, às 18:30, estarei na Fnac do Chiado a apresentar o meu livro "Janela do Pensamento", no dia 14 de Julho, ás 21:30, estarei na Fnac Algarve, se algum destes locais te for próximo, se puderes comparece, será um prazer)

............................

Beijinhos

Alvaro Gonçalves disse...

Oi meu anjo,

Hoje venho aqui mais uma vez apenas para te desejar um lindo fim de semana e uma semana cheia de paz, amor, harmonia e muita luz em teu coração.
Obrigado, pela tua maravilhosa amizade, pois significa muito para mim.
Bjokas mil e xi – corações.


P.S. Adorei o teu post, e acredita, sei bem do falas, amiga.

Miosotis disse...

Um olá...
Um adeus...
Um beijo perdido num campo de miosótis ressequido...

sonhadora disse...

Concordo. Absolutamente. Deixo-te beijinhos embrulhados em abraços.

Caracolinha disse...

Isso é que era bom eu a nadar num prato de caracóis cheio de molhanga, acompanhada por uma imperial ... :)

Isso é que era bom .... !!!!

Eu esquivo-me sempre a ser petiscada em qualquer esplanada, e continuo aqui sempre pronto a vir visitar os blogs das queridas e amáveis como tu !!!!

Beijoca encaracolada !!!!

vida de vidro disse...

Haverá bons e maus em todos os graus de ensino. O grande problema são as generalizações. Isto para além da inqualificável política desta ministra! **

Mocho Falante disse...

olá viva

pois não te podia dar mais razão, daqui tiro o meu chapéu a este excelente post. Eu fui vitima de um professor no superior que me chumbou sucessivamente desde o 2º ano até ao ultimo e tudo porque quis saber o valor de uma nota e pedi revisão. O que lhe aconteceu depois de me queixar???? NADA claro

beijocas

turbolenta disse...

Os professores universitários pertencem a uma classe de elite. São reis e senhores e são intocáveis.Devia haver normas bem definidas para que não acontecessem situações como a que contou, e que são deveras impensáveis de alguma vez existirem. E os alunos prejudicados não reclamaram? Ninguém se sentiu lesado?
Inacreditável!
Porque todos têm medo e se acobardam é que a situação neste país chegou onde chegou, na maioria das coisas.
Em países evoluídos, isto seria impensável e impossível. Poderia haver um erro que deveria ser corrigido, mas vários....(?) parece-me "favores".
E assim vai o ensino superior...
Os professores do ensino básico e do secundário (principalmente estes últimos) é que pagam as favas e são considerados como culpados do fraco ensino que temos. Mas as culpas Têm mais a ver com uma má gestão e directivas dadas pelo ministério da educação, com as constantes alterações que tem vindo a implementar,constantemente.
boa semana

turbolenta disse...

Passe pelo meu blog
Tenho um miminho para si
BOM FIM DE SEMANA

o alquimista disse...

Será que o fogo que me assalta o peito, é deslumbramento, gerado de dor consentida ou apenas um vestido de rubra lava, tecido nas profundezas, liberto no meio da ilha?! Agitam-se as águas do tempo, aprisionado mar numa gota de sal azul, oceano de mil contradições, espesso aroma de brisa do sul.


Bom fim de semana


Doce beijo

sinha disse...

desejo um bom fim de semana...

muitos, muitos beijinhos

margusta disse...

Faz hoje dois anos que editei o meu primeiro post...

O que conta não é o que fazemos, mas o amor que colocamos no que fazemos!".
Madre Teresa de Calcutá ...

Alongo os meus braços e abraço-Vos... num abraço intemporal!!!

foryou disse...

Superior... inferior... enfim nem vou comentar a designação.

Aliás acho que um "bom e mau existe em todo o lado, no ensino e não só" é comentário que chegue.

Deixa-me só acrescentar a esta frase "E não há quem, dentro da instituição, os faça mudar de ideias. Nem sei mesmo se tentam" há quem tente sim! Como em todo o lado há bom e mau!

Quando o sucesso (o verdadeiro, não o estatístico) dos estudantes fôr o factor principal de avaliação dos seus professores (sejam eles "superiores" ou "inferiores") o ensino em Portugal terá ele próprio mais sucesso.

Agora colega vá lá de férias com os seus filhos e acalme-se que isto há-de melhorar (sim, porque descer mais será dificil). E já agora boa sorte para o seu filho (e o meu também)